Não compre, adote

Você já pensou em ter um gatinho ou um cachorrinho? Ou você já tem e quer mais um? Ou você precisa de uma raça que não lata, não cresça e etc, etc e etc? Bem, enquanto você compra um animalzinho em uma loja ou criador, saiba que milhares estão abandonados pelas ruas. Sim abandonados! 

Aí vem alguém e fala: Eles são da rua… 

Não! Eles não são da rua. Eles estão na rua porque algum ser humano os abandonou lá. Ou é mais um caso de um abandonado que deu cria na rua… 

Adoção é um ato de amor. Não precisa de raça, tamanho ou beleza. 

Lógico que um bichinho todo penteado e cheiroso (ainda mais um filhotinho) chama atenção, mas saibam que todos podem te dar um amor incondicional. 

E saiba que a questão de espaço nem sempre é um limitador para ter um “grandão” dentro de um apartamento, por exemplo. Ele pode se adaptar facilmente e condicionados a passeios para fazer suas necessidades. E sim, ele viverá bem assim se você der amor, cuidados e atenção. Melhor que estar na rua revirando lixo, sendo maltratado (sim, tem criaturas que maltratam) e podendo ser atropelado. Pense nisso! Melhor em um apartamento e recebendo amor, do que na rua fria e dura. 

 Outra questão que escuto sempre é: eu não sei a procedência! Se ele vai crescer, se vai ficar bravo, se solta pelo, se vai roer chinelo… 

Vamos as respostas; 

1 – Procedência não é desculpa! Ele possivelmente é fruto de dois cães ou gatos que estavam na rua e é só você levar ao veterinário e dar as vacinas, alimentação adequada, amor… que vai ficar tudo bem; 

2 – Se ele vai crescer? Sim, filhotes crescem! Mas, no caso de cães, pela estrutura óssea dá para ter uma noção se ficará pequeno médio ou grande (nem sempre é exato, mas dá para ser ter uma média); 

3 – Bravo? Isso tem muito mais a ver com como você vai criá-lo do que com genética; 

4 – Solta pelo? Sim, todos soltam. Uns mais outros menos. Você vai acabar não se importando com isso depois que se apaixonar por ele! Mas, para evitar tufos de pelo rolando pela casa, basta escová-lo. 

5 – Vai roer coisas? Filhotes gostam de roer. Isso é normal. Oferecer alternativas de diversão muitas vezes soluciona isso. E o resto é educar para que ele deixe esta mania. Mas, pode crer em mim: você vai achar tão fofo ele roendo seu chinelo que nem vai ligar (kkkk). 

Cachorro não nasceu para vigiar quintal e gato não nasceu para caçar ratos! Eles são seres vivos como eu e você e merecem amor e respeito. 

Você pode sim criar um cão no quintal por ele ser grande, mas precisa oferecer as condições adequadas para que ele fique ali. 

Não compre, adote! 

Cometa um ato de amor! 

Fernanda Borriello 

Especialista em amar os animais. 

Fernanda Borriello

É ativista na área cultural e protetora dos direitos dos animais. Em paralelo à sua formação e a atuação no Teatro, foi Diretora de Projetos e Assuntos Institucionais da ONG- CUFA- Central Única das Favelas.  Foi Superintendente de Direitos Humanos do Estado do Rio de Janeiro e membro do Conselho de Direitos Humanos e Segurança Pública.  Hoje, atua como Gestora Cultural, especialista na gestão de projetos culturais, esportivos e de responsabilidade social. Também, é Conselheira Estadual de Cultura, eleita pela primeira vez, pelo voto popular em 2016. Além das Artes, tem um amor incondicional pelos animais, aos quais ela dedica boa parte do seu tempo. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *