O “Brechó” e suas origens

Origem da palavra brechó: “No século 19, um mascate chamado Belchior ficou conhecido no Rio de Janeiro por vender roupas e objetos de segunda mão. Com o tempo o nome se transformou por corruptela em “brechó”, que acabou sendo traduzido por “segunda mão’”.

Dizem que os brechós têm sua origem nos mercados de pulgas da Europa, onde se podia comprar e vender praticamente tudo. As feiras aconteciam ao ar livre e como as peças eram usadas e não havia lá muita preocupação com a higiene, animais como pulgas não eram incomuns, daí a origem do nome “mercado de pulgas”.

Há diferenças entre bazar e brechó. O bazar pode ser em um espaço fixo em ponto comercial ou também pode ser feito em casas, garagens, igrejas e associações. Normalmente, em bazares, as peças são muito baratas, a partir de R$ 1 ou R$ 5.

Já os brechós são mais organizados, funcionam como lojas fixas mesmo. Os donos de brechó têm um cuidado para selecionar as melhores peças, que passam por uma curadoria e até parecem novas, por isso são mais caras que roupas de bazar, mas ainda assim são peças mais baratas que de lojas convencionais.

Em geral, existem três tipos de brechós: os que trabalham com peças vintage (qualquer peça que tenha pelo menos 20 anos e menos de 100 anos, depois disso é considerada antiguidade), os de luxo que trabalham com marcas importadas e nacionais de grandes grifes e os que trabalham com peças atuais. Um mesmo brechó pode acomodar mais de um desses tipos.

Gostou dessas informações? Você pode encontra-las nos sites abaixo. Este papo foi para introduzir no que se fala de brechó. Agora que estamos calçadas, vestidas, e informadas, podemos esperar a próxima coluna. Até!

Fontes:
http://acervo.avozdaserra.com.br/noticias/por-que-brecho
https://massanews.com/blogs/moda/desavesso/voce-sabe-a-diferenca-entre-bazar-e-brecho-RQ72Z.html
http://asn.blog.br/2016/05/17/sobre-brechos-mitos-e-novos-habitos/

Talita Kárlin

Apaixonada por desafios, tem 21 anos, atua como designer gráfico, produtora de eventos culturais, compositora e escreve poesias desde menina. Descolada e antenada com as novidades do mercado de consumo feminino tem como "hobby", pesquisar sobre os brechós da cidade e partilhar as novidades com o seu seleto círculo de amigas. Um dos grandes desafios para ela é fazer parte do grupo de colunistas desta revista e compartilhar com as leitoras, as novidades e os segredos  dos brechós mais charmosos do Brasil.

1 comentário em “O “Brechó” e suas origens

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *